As emocionantes aventuras de um sysadmin linux na procura pelo uptime perfeito!

E o Ubuntu me perde como usuário e entusiasta.

Posted: fevereiro 1st, 2007 | Author: coredump | Filed under: Linux e Open Source | Tags: , ,

Quem me conhece deve saber que no último ano eu fiz muito proselitismo do Ubuntu. Debian para servidores, Ubuntu para desktops, eu dizia.

Mas agora a lua de mel acabou. A decisão da distribuição com relação aos binary-only drivers me deixou irremediavelmente frustrado.

Encurtando a história: o Linux pode ter um desktop 3d cheio de firulas e efeitos, mais bonitos que a interface Aero do Windows Vista (na minha opinião). Para isso você precisa de uma placa 3d decente. E drivers que suportem estas placas.
Os drivers que suportam toda essa barafunda são os ignóbeis binary-only (apenas executável). Ou seja, sem fonte, sem informação, um executável completamente desconhecido que você baixa da nVidia ou ATi e coloca na sua máquina. E ainda para de funcionar quando você faz update de certas partes do seu sistema. Nada poderia ser pior para a liberdade e estabilidade do sistema operacional do que depender de drivers que não são documentados e são exclusivamente de uma empresa, eles não são só proprietários, eles são binary-only.

Não entendam mal: existem drivers abertos para estas placas? Existem, com muito trabalho grupos de heróicos desenvolvedores tentam desenvolver drivers para estes hardwares sem o menor apoio das empresas e sem ao menos terem acesso a documentação.

A decisão que me fez abandonar o Ubuntu foi exatamente a resposta errada para a pergunta “Features vs. Freedom” que o Jono fez no link acima. Por mais que eu ache que sacrificar um pouco da liberdade por features seja interessante, desktop 3d não é uma necessidade intrínseca de um sistema. É perfumaria, penteadeira de puta. Existem placas de rede sem fio que usam drivers binary only, mas convenhamos, é uma placa de rede! Sem isso, a máquina fica sem uma funcionalidade importante! Existem algumas placas 3d mais novas que também não são suportadas pelos drivers de código aberto e para estas é indispensável o uso destes drivers binary only.

Mas o Ubuntu resolveu habilitar os drivers binary only por padrão na próxima versão, a Feisty. Não precisava. Eu acompanhei a discussão no Planet Ubuntu e na lista. Existiam alternativas viáveis como fazer uma simples pergunta para o usuário na instalação sobre qual driver usar, explicando o problema dos drivers binary only.

Hmmm. Eu não expliquei o problema né? Bom, além do óbvio – estamos presos a drivers desenvolvidos por empresas que não liberam especificações usando executáveis que não sabemos exatamente o código que contém – existe o poder de mercado. O Ubuntu era uma grande forma de fazer pressão nestas empresas para que elas liberassem suas especificações para que os desenvolvedores fizessem drivers de código aberto mais compatíveis. Mais gente usando estes drivers de código aberto seria igual a mais gente reclamando com as empresas para forçá-los a interagirem com a comunidade.

Mas então, como eu disse, eles podiam ter feito uma simples pergunta na instalação, ou instalar os drivers abertos e fornecer um programa para ser executado depois explicando o problema acima e tal… Mas… bem…

Agora, isso é passado. O Ubuntu desrespeitou os desenvolvedores dos drivers de código aberto, desrespeitou a ideologia do código aberto e desrespeitou minha capacidade de escolher. Eles engrossam o coro (junto com o Fedora linux) de distribuições Linux que dizem para as empresas de hardware: “Sem problemas seus drivers serem fechados, nos vamos usá-los mesmo se for apenas por efeitos bonitinhos“. Enquanto deviam estar no coro “Abra suas especificações e vamos contribuir para drivers de código aberto mais poderosos“.

Isso não é xiitismo, mas mesmo eu não sendo radical eu tenho alguns limites éticos, e desrespeito a desenvolvedor de driver é demais.

Em tempo, a Intel parece estar entrando no mercado de placas de vídeo, e os drivers de código aberto das placas atuais dela são feitos com especificações fornecidas pela própria, assim como placas de rede e sem fio. Mais detalhes neste link. Assim que possível, trocarei minhas placas por Intel. Até porque a ATi (minha preferida) foi comprada pelo lixo de silício da AMD e provavelmente vai perder a qualidade que tinha sobre as horríveis nVidia.

Afinal, vou voltar a usar o Debian no Desktop, o Etch deve sair ainda antes de 2010 e mesmo assim a qualidade do testing é maior do que certas distribuições por ai. E lá eu tenho a opção de instalar os drivers binary only só se eu quiser.

intel.

Compartilhe:
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Slashdot
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • TwitThis
  • Identi.ca
  • Twitter

Posts relacionados:

  1. Talvez ainda tenha salvação O Yves acabou de me repassar: The Ubuntu Technical Board...
  2. E o inferno fica mais fresco. Desde a semana passada a AMD/ATI tinha dado dicas de...
  3. Satellite A215 S4747: Colocando Windows XP e Linux Atenção: Eu não tenho este notebook mais. Por mais que...
  4. Finalmente Depois de longas semanas alguém apareceu com um hack para...
  5. Resenha: Asus Eee PC (e como instalar o XP) Então. Eu já tenho um notebook HP como eu disse...

6 Comments »

6 Comments on “E o Ubuntu me perde como usuário e entusiasta.”

  1. 1 Cesar Cardoso said at 12:01 on fevereiro 1st, 2007:

    Pelo menos para nVidia existe o trabalho de fazer um driver livre: http://nouveau.freedesktop.org/wiki/

    Chegou a rolar um pledge de doações para os desenvolvedores do projeto (http://www.pledgebank.com/nouveaudriver) e o objetivo foi alcançado, mas até agora não recebi o email de como enviar os tais 10 dólares para o pessoal.

  2. 2 RedTuxer said at 20:51 on fevereiro 1st, 2007:

    Quando a coisa corre mal, volta-se de novo a casa (Debian). Cada vez se vai dando mais valor à filosofia da liberdade da Debian.

  3. 3 maurelio said at 10:45 on fevereiro 2nd, 2007:

    é… concordo com você, perdemos um forte aliado na briga contra os drivers proprietários mas acho que nem tudo está perdido. considerando a tendência atual de grandes empresas como Sun, Intel e a própria Microsoft de abrirem o código de seus sistemas operacionais, drivers, etc. não deve levar muito tempo até que a ATI e a Nvidia caiam na real e liberem as especificações técnicas das placas.

  4. 4 the brain is a machine » E agora eu tenho um iPod… said at 19:08 on fevereiro 12th, 2007:

    [...] eu disse no meu post sobre o Ubuntu e drivers binários: “Existem placas de rede sem fio que usam drivers binary only, mas convenhamos, é uma placa [...]

  5. 5 Leandro Godoy said at 17:58 on março 28th, 2007:

    é meu caro eu fiz a mesma coisa … abandonei o Ubuntu no meu Ibook e voltei para Casa (Debian Testing) e agora aqui no Trampo fiz a mesma coisa …
    LINK: http://www.blogmind.com.br/archives/05/o-bom-filho-a-casa-torna-de-volta-ao-debian/142

    Debian Testing é realmente mais estável do que muita distribuição por aí .. eu não tenho problemas …

    Quem sabe até 2010 ele virá o Stable …

    Abraços

  6. 6 BrSeek » Manual de instalação do mandriva linux said at 20:30 on outubro 16th, 2008:

    [...] de outras distribuições do linux. Muitos entusiastas de outras distribuições linux, se assustam com a atuação agressiva dos patrocinadores da canonical que é uma empresa que fatura com o ubuntu. O lançamento de novas [...]


Leave a Reply