As emocionantes aventuras de um sysadmin linux na procura pelo uptime perfeito!

Porão do Rock 2007

Posted: junho 3rd, 2007 | Author: coredump | Filed under: Uncategorized | Tags: ,

Estou fazendo o post para contar do Porão do Rock que aconteceu no início do mês. Fiquei embaçando e acabei perdendo o tempo. Só de raiva, vai ser postado retroativamente.

Decidi ir no Porão depois que eu vi o lineup de sábado. Mudhoney estaria fechando a noite, era minha chance de voltar a minha adolescência! Explico: quando comecei a andar de skate, nos idos de 90 e poucos, eu era meio tosco com relação a música, eu vivia de escutar o que tocava em rádio. Foi então que um amigo do SENAI/COTEOM me deu uma fita cassete gravada com Nirvana de um lado e, adivinhe, L7 e Mudhoney do outro, se tornando esse o passo inicial do meu gosto musical moderno. Aconteceu quase a mesma coisa quando no final dos 90 uma amiga do RJ deixou uma fita com Murder Ballads do Cave tocando no carro, mas isso é uma história para outra hora.

Comuniquei lá em casa meu desejo de ir no evento e com tudo combinado fui trabalhar numa migração (trabalhar sábado, você um dia chega lá). Como minha esposa é especial e tem os contatos barra pesada, consegui duas entradas para a área VIP do Porão. Fila do gargarejo mesmo. O show tinha dois palcos montados, como o lineup era grande acontecia de um show acabar e o outro palco já estar começando. Non stop total. Na frente destes palcos tinha uma área de proteção com uns 2 metros, uma grade e daí começava a área que eu estava, que além de ser perto do palco tinha um lounge com Guitar Hero, acesso a vendedores de coisas (WTF cerveja long neck a 4 reais) e acesso à area de imprensa onde dava pra falar com o povo da banda. Elite né? Ter esposa foda é bom :)

Cheguei lá com meu chefe (eu tinha dois ingressos) quando estava no show do Móveis Coloniais de Acaju. Confesso que já tinha tido chance de ouvir os caras e não tinha gostado, mas naquela noite eles estavam mais encapetados e gostei muito da apresentação, é tipo um Karnak-Big Band-Indie. Na sequência veio Nação Zumbi que se esforçou mas… foda né? Sem o Chico Science eles acabam ficando meio que cult demais. Ninguém conhecia a maior parte das músicas e só animavam mesmo quando alguma música antiga fazia alguma aparição. Resultado foi um show meio morno que só ficou agitado quando o vocalista resolveu ultrapassar o tempo combinado e tocar umas 5 músicas da época do Afrociberdelia como A Cidade, Maracatu do Tiro Certeiro, Maracatu Atômico e Macô, foi um dos momentos altos da noite dançar Blunt of Judah na frente dos gigantescos PA de som do palco, era como se os sons dos tambores estivessem me atravessando (sério, o deslocamento de ar era tanto que a roupa tremia no corpo). Curiosamente, Blunt of Judah foi uma das únicas músicas do Nação-pós-Chico que chegou na MTV e rádios fazendo sucesso. Corri para o outro palco a tempo de ver a apresentadora chamar Bellrays de Billrays (sic). Fiquei com vergonha por ela. O show do Bellrays foi animado, conseguiu depois de umas 2 músicas tirar o povo do susto – susto esse devido a vocalista ostentar um gigante black power, ser meio gorda e usar um vestidinho aberto do lado – e a galera agitar. O que prova a teoria de que banda de qualidade não precisa ser necessariamente conhecida, eu ouvi Bellrays quando li o nome deles na programação do evento e acabei gostando, mas tinha muita gente ali que nunca tinha visto ou ouvido nada e da segunda música pra frente estavam dançando e tentando achar a letra pra cantar junto.

Então teve o show do Sepultura. onde eu fiquei sentado descansando bem longe do palco pra não ter de ouvir aquele som detestável.

E daí teve o show do Mudhoney. Aparentemente o ponto alto da noite era Sepultura porque o lugar deu uma esvaziada assim que eles acabaram de rosnar lá em cima do palco. A vantagem foi que quem ficou tava no meu nível: todo mundo fã da banda. E eles tocaram os clássicos, inclusive a música que tava na fitinha cassete mencionada anteriomente, Suck you Dry. Tenho de dizer que foi uma experiência massa ver ao vivo uma coisa que fez tanta parte da minha formação musical. Touch me I’m sick foi uma das boas também. O show foi animado e tinha uma galera cantando junto e agitando. Já eram umas 4 da manhã quando saí de lá e fui pra casa.

No geral, foi um saldo bem positivo. Agora pra melhorar só com um show do Cave. Mas esse eu já meio que desisti.

intel.

2 Comments »

Sábado, 2 de Junho

Posted: maio 23rd, 2007 | Author: coredump | Filed under: Pessoal | Tags:

Mudhoney fecha a noite no Porão do Rock, quem vai comigo?

intel

tags: mudhoney, musica, shows, porão do rock

No Comments »

Everybody suck

Posted: abril 20th, 2007 | Author: coredump | Filed under: Pessoal | Tags: ,

Acabei de dar uma revista na minha lista de contatos nos sites “sociais” aka orkut, linkedln. A verdade é, ou eu estou ficando velho e ranzinza, ou everybody suck.

Ou pode ser porque são 3 da manhã e eu não consigo dormir.


“Punk Rock Song”
have you been to the desert?

have you walked with the dead?

there’s a hundred thousand children being killed for their bread

and the figures don’t lie they speak of human disease

but we do what we want and we think what we please


have you lived the experience?

have you witnessed the plague?

people making babies sometimes just to escape

in this land of competition the compassion is gone

yet we ignore the needy and we keep pushing on

we keep pushing on


this is just a punk rock song
written for the people who can see something’s wrong

like ants in a colony we do our share

but there’s so many other fuckin’ insects out there

and this is just a punk rock song

(like workers in a factory we do our share
but there’s so many other fuckin’ robots out there)

have you visited the quagmire?
have you swam in the shit?

the party conventions and the real politik

the faces always different, the rhetoric the same

but we swallow it, and we see nothing change

nothing has changed…



10 million dollars on a losing campaign
20 million starving and writhing in pain

big strong people unwilling to give

small in vision and perspective

one in five kids below the poverty line

one population runnin’ out of time

Bom. Pelo jeito eu acabo de fazer um post no estilo “fotolog de adolescente revoltado”. É. Foda.intel

3 Comments »

E agora eu tenho um iPod…

Posted: fevereiro 12th, 2007 | Author: coredump | Filed under: Cybermundo, Linux e Open Source | Tags: ,

Então. Minha cunhada me voltou dos EUA com um presentaço: iPod Vídeo 30G. Não tem como não agradecer a ela :)

Tenho de confessar, foi uma coisa meio estranha a sensação de estar fazendo algo inerente malévola, afinal de contas, iPods + iTunes + DRM = Defective by Design. Discuto isso depois (ou seja, como eu consegui calar minha consciência com argumentos plausíveis mas não tão corretos…)

Mas o Rockbox veio em meu socorro. Um projeto danado de espertinho. Com alguns comandos, instalei o firmware alternativo e voilá, meu iPod era uma máquina de tocar OGG e outros formatos, além de inúmeras vantagens.

Claro, se eu quisesse só escutar música, tendo que reiniciar o iPod de tempos em tempos.

Como eu disse no meu post sobre o Ubuntu e drivers binários: “Existem placas de rede sem fio que usam drivers binary only, mas convenhamos, é uma placa de rede! Sem isso, a máquina fica sem uma funcionalidade importante!”. Ou seja, o meu problema não é exatamente com coisas proprietárias, mas com as coisas proprietárias que podem ser substituídas por alternativas livres sem perda de funcionalidades importantes.

Infelizmente, o Rockbox ainda não consegue substituir completamente o software original do iPod. Mesmo com as vantagens que ele já tem, faltam coisas como usar o segundo processador do iPod Vídeo de forma inteligente. Atualmente esse co-processador fica lá, parado, sem fazer nada, isso faz com que a interface do Rockbox fique insuportavelmente lenta e instável. Além disso, qual o motivo de se ter um player com vídeo que não suporta vídeos? Porque o mpegplayer do Rockbox ainda está muuuuito lento, com problemas e tal. E sem o segundo processador funcionando, a velocidade é frustrante.

Alguns vão dizer: ah, mas é um projeto novo e tal… Claro, concordo. Já coloquei as news do site do Rockbox nos meus bookmarks. Vou lá mensalmente checar o projeto e assim que eles liberarem uma versão boa o bastante eu volto pra ele.

E outra, o Rockbox está instável para meu modelo de iPod, se você tem um Nano da 1ª geração ou alguns players mais antigos como a série H dos iRiver, o Rockbox roda rápido e estável, o problema é só o hardware mais novo destes iPod Vídeo, então não ache que o projeto é um lixo só porque não funcionou pra mim. Se você tem algum dos players que o Rockbox suporta a mais tempo, com certeza você vai se assustar com o quanto o Rockbox é melhor que a interface padrão dos mesmos.

Enquanto isso, eu uso o iPod com ferramentas livres como o gtkpod e similares (MediaMonkey é muito bom e gratuito, para Windows), me mantendo longe do iTunes e sua loja infestada de DRM. E converto meus OGG para MP3 na hora de sincronizar o iPod. Complicado? Sim. Mas a interface é rápida, o som é bom, e eu consigo assistir as horas de vídeo que eu tenho de assistir mas nunca achei vontade de fazer em casa, como aquele curso de preparação para CISSP que eu tenho em DivX… Ou os episódios de Naruto… Quem sabe algum outro anime interessante pra se assistir no ônibus/metrô… :P

intel

tags: ipod, rockbox, mp3, ogg

2 Comments »

Sophie Ellis Bextor em novo disco

Posted: janeiro 30th, 2007 | Author: coredump | Filed under: Pessoal | Tags:

Então. Nem me perguntem como, mas entre meus diversos gostos musicais tem essa moça, um Brit Pop bem dançante. Nada a ver com o resto do que eu escuto na verdade :P

Mesmo assim, os trabalhos anteriores são muito bons. Agora em 2007 ela vai lançar o terceiro disco que foi produzido com o Schneider do B-52′s, outra banda que eu curto. Então, saiu um clipe de um single do novo disco e tá no Youtube:

tags: música, brit pop, sophie ellis bextor

No Comments »