As emocionantes aventuras de um sysadmin linux na procura pelo uptime perfeito!

Cristóvam Buarque no IESB, sobre educação

Posted: junho 18th, 2009 | Author: coredump | Filed under: Pessoal | Tags: , ,

A Li chegou lá em casa falando sobre isso, ele falou durante o lançamento da Cátedra IESB e eu gostei de algumas idéias. Acabei achando um vídeo de um aluno no YouTube. O áudio tá ruim pacas, então peguei pelo menos uma das partes interessantes, cinco coisas que uma escola tem de ter atualmente:

  1. Alunos, sem crianças uma escola não é escola;
  2. Professor bem remunerado, com dedicação exclusiva e muito bem preparado;
  3. Prédio, não é escola com prédio caindo aos pedaços;
  4. Equipamento. Não é escola só com quadro negro. (…) Quem nasceu e cresceu vendo efeito especial na TV nunca vai conseguir se concentrar em quadro negro;
  5. Horário integral.

Além disso, colocaria como sexto item o conteúdo, o conteúdo da educação tem de ser adaptado.

Além disso a Lilian me contou que ele falou algo sobre futebol, uma analogia. Acho que era mais ou menos assim: Quando você observa os melhores jogadores de futebol do mundo, são brasileiros e normalmente de origem pobre (com exceção do Kaká). Por outro lado, o Brasil não tem nenhum prêmio Nobel. Para ambas as coisas se precisa de talento, pro futebol a criança precisa ter acesso a bola desde criança, e para um prêmio nobel ela precisa ter acesso a boa educação desde criança. A diferença é que a bola é igual pra todos, e a escola não.

Eu gostei muito da analogia e acabei postando aqui mais pra me lembrar no futuro. A Li ficou de me arrumar o vídeo dessa parada, quando isso acontecer eu posto as palavras do senador corretamente aqui.

intel

1 Comment »

Não existe mundo virtual, infelizmente.

Posted: maio 18th, 2009 | Author: coredump | Filed under: Cybermundo | Tags: , ,

Na verdade essa barafunda toda com relação o PL 84/99 e tal tem umas raízes diversas. Esse post aqui é estranhamente sóbrio no mar de alarmismo que os showmans invocaram, ele elenca os problemas e os discute, ao invés de simplesmente disparar um monte de observações absurdas e sem sentido (FUD) para gerar medo. Eu nunca disse que a lei era perfeita (pode conferir, tá no primeiro post sobre o assunto), só que no momento é mais importante ter uma lei do que esperar uma lei perfeita. Nosso código penal tem uma idade absurda, é ultrapassado em vários pontos e tal, mas imagine só se nem ele existisse? Ou se estivesse em discussão a 40 anos?

Na minha opinião aparentemente única no Brasil =) o que acontece é a idéia de que a internet é um ‘país a parte’, um ‘mundo virtual’ a parte do ‘mundo real’. Era uma idéia interessante, eu mesmo traduzi e já citei várias vezes o Cypherpunk Manifesto mas infelizmente as coisas não são assim. Em qualquer tipo de nova tecnologia os usos maléficos estão entre os primeiros a serem descobertos e utilizados. Você pode reparar que sempre que existe uma nova descoberta científica existe um grande frisson para se regulamentar antes que alguém faça caquinha (energia atômica virou bomba, biogenética vira arma quimica e dai por diante).

A internet por outro lado meio que se imiscuiu desse processo, e essa visão que todo mundo gosta de ter de que é um mundo livre, sem leis, etc.. acabou virando a visão mais romântica da coisa. O projeto de lei discutido por exemplo define algumas coisas que seriam ilógicas não fosse essa visão de ‘mundo separado’. Roubo, por exemplo. Pela lei, se você compra um DVD pirata, você está indo contra a lei de propriedade intelectual, e todo mundo parece entender isso mesmo que não concorde, continue fazendo e ache uma justificativa para tal. Já a mesma pessoa que tem essa consciência com relação a comprar um DVD pirata não tem o mesmo pensamento quando baixa um DVD da internet. Mas o que está acontecendo é a mesma coisa, é ir contra a propriedade intelectual da mesma forma, mas aparentemente por estar na Internet, fica tudo bem, afinal de contas é um outro lugar, não é Brasil, nem real é! Se é virtual, é legal, aparentemente.

Mas não é assim. Ou pelo menos não poderia ser. Leis como a que esse PL sugere são necessárias porque não só o código penal existente é falho para lidar com questões tecnológicas como porque na cabeça da maioria das pessoas ainda existe a noção de que a internet é uma terra de impunidade.

O sr do post lá em cima tem várias críticas que fazem sentido, e algumas nem tanto. Eu digo e repito, três anos de log não são nada demais. Além disso ele argumenta que um atacante experiente pode mascarar seus logs, o que eu concordo, mas a internet brasileira não é formada por 100% de atacantes experientes, e sim de uma mistura de experientes e não-tão-experientes-assim. Além disso, se a justificativa de que ‘atacantes experientes não vão ser afetados’ fosse válida, não precisaríamos de nenhuma lei relacionada a crimes, porque afinal de contas um criminoso experiente pode muito bem realizar um crime sem deixar pistas, certo? E os registros telefônicos que já existem, são basicamente a mesma coisa que um log. Telefonia pode, mas internet não, denovo a idéia de que a internet é um lugar diferente.

Certificação digital é uma outra solução que o sr propôe, como solução para fraldes bancárias. Claro, ia tornar mais difícil essas fraudes mas como diz o adágio, não existe patch para estupidez humana. Mesmo com a certificação digital existem várias outras falhas no caminho que podem ser atacadas. Criptografia não é solução para os problemas do mundo (qualquer um que estuda segurança sabe disso), e criptografia mal implementada e nada são a mesma coisa.

Acho que algumas pessoas pegaram o barco nessa lei para lutar por outra coisa. De quando em vez vejo pessoas ai reclamando nos blogs que essa lei é coisa do PIG para controlar o direito autoral. Por mais que eu despreze a Veja e a Globo e acredite na existência do PIG, não acho que vai ser lutar contra esse PL que vai mudar nada na imprensa brasileira, até porque o PL não lida com quase nada que afete blogs/imprensa livre ou não. Ou nas leis de direito autoral, for that matter. Se o problema é que ‘a cópia de arquivos vai acabar com as redes P2P”, acho que essas pessoas deviam estar trabalhando para mudar a legislação de copyright que é velha, quebrada e não contempla os novos paradigmas dos mercados. Mas é mais fácil fazer escândalo e capitalizar em cima do hype, para atrair mais seguidores para sua causa, mesmo que não tenha nada a ver uma coisa com a outra.

E com isso acho que eu termino meu último post sobre o assunto. Acho que já disse o que tinha para dizer.

intel

PS: Para não ser chamado de hipócrita: eu vou ser atingido como qualquer um por esta lei, mais ainda porque minha área profissional tem muito a ver com internet e segurança, eu tenho total consciência disso. Isso não me impede de acha-la uma boa idéia, com falhas, mas melhor que nada.

1 Comment »

Quando usamos as armas do inimigo

Posted: maio 14th, 2009 | Author: coredump | Filed under: Cybermundo | Tags: , ,

Eu tenho ficado longe de assuntos de software livre atualmente, mais por me focar em outras áreas e tal e principalmente para me manter fora de política.

Então foi com alguma tristeza que eu notei que para alguns “luminares” do software livre no Brasil, pimenta nos olhos dos outros é realmente refresco. Digo isso porque com alguma surpresa notei que esses “luminares” resolveram usar as mesmas estratégias que eles condenam a anos na luta contra as grandes empresas do software proprietário. De repente, eu vi as pessoas usando FUD (medo-incerteza-dúvida, em inglês).

Porque eu digo isso? Porque se você observar toda a “campanha” contra o PL do Senador Azeredo, você vai ver que eles usam pedaços de informação, distorcendo o contexto. Além disso exageram em coisas como chamar o projeto de “AI 5 Digital”, o que para qualquer pessoa que realmente leia o que foi o AI-5 chega a insultar a inteligência. Exemplos? Ta ái:

  • “Projeto do Senador Azeredo vai inviabilizar redes abertas”
    Como assim? O que são redes abertas? São redes de colaboração entre pessoas como projetos de software livre (o que eles querem que você pense) ou redes wireless (hot-spots) que funcionam sem necessidade de cadastro/autenticação (o que a lei realmente quer evitar)? Porque nesse caso, é até uma coisa constitucional, por mais que se concorde ou não, anonimato é proibido no Brasil. E de mais a mais, qual seria o problema de se exigir um cadastro para utilização de hot-spots, visto que até para comprar celular pré-pago você precisa apresentar seus documentos. Como eu disse, FUD.
  • “Projeto vai acabar com telecentros”
    Oi? Como? Ainda com a idéia aí de cima sobre redes abertas?
  • “Transferir  arquivos vai ser crime, acabando com as redes P2P”
    Realmente, o projeto tem uma parte sobre cópia de arquivos, mas fala de copiar arquivos “sem a permissão do dono”. O pessoal do FUD diz que isso vai acabar com qualquer cópia de arquivo, enquanto na verdade é uma coisa meio óbvia com relação a copyright. Arquivos cujo copyright proíbem a cópia realmente não deviam ser copiados. Mas e arquivos, por exemplo, licenciados livremente via GPL, LGPL ou Creative Commons? Eles já tem, intrinsicamente, a permissão de cópia. Mas o FUD tem de ser feito.
  • “Pequenos provedores e telecentros vão ser afetados pela guarda de logs”
    Como eu ja disse em um post anterior, o gasto para se manter um tamanho razoável de registros de acesso em redes não é nada exorbitante como o FUD pretende dizer. Claro, vai ter um gasto, mas nada que vá quebrar um provedor ou um telecentro.
  • “Projeto transforma provedor em polícia/xerife”
    Essa dá nos nervos. O que está escrito na lei e que um provedor tem de avisar para as autoridades caso seja informado de um crime. Nada sobre o provedor ter de vigiar o que acontece de todo mundo na sua rede para depois prender e processar alguém. Mas FUD tem de se basear em falácias do tipo. Qualquer pessoa a ser informada de um crime faz por bem comunicá-lo a polícia/autoridades, porque um provedor seria diferente?
  • “Projeto penaliza todo mundo menos os criminosos”
    Do jeito que a galera do FUD explica, parece que o PL foi feito para atingir o usuário normal do dia a dia de internet, enquanto os verdadeiros megahackers nunca vão ser atingidos. O fato é que o PL serve para tipificar crimes, o que não existe na legislação brasileira. Ou seja, mesmo quando um “mega hacker” é preso não existe a modalidade de crime para enquadrá-lo e acabam tendo de fazer uma gambiarra legal facilmente desqualificada por advogados. Lembra que até pouco tempo atrás a posse de pedofilia não era crime? Então, atualmente fazer um vírus ou cavalo de tróia também não. Nem roubar senha de bancos via internet (usar a senha roubada sim, é crime. Roubar e não usar, não).

Eu sei que com isso eu vou contra a corrente libertária do pessoal open-source, free software, etc… e mesmo de diversos amigos que provavelmente vão parar de falar comigo =). Mas do meu ponto de vista de profissional de segurança/entusiasta de software livre é muito triste essa disputa virar um palanque para afirmações exageradas para colocar o medo-incerteza-dúvida (FUD) em pessoas que nem ao menos tentaram ler o texto da lei sendo discutida, acabando por criar uma massa de desinformados gritando contra uma coisa que não conhece. Peraí, não era a Microsoft que fazia isso?

Como diz um amigo que trabalha comigo “Comunidade é legal mas sempre tem showman querendo aparecer”.

Afinal de contas, nada gera mais publicidade do que se colocar como um paladino lutando pela liberdade, por mais que as vezes a luta seja na verdade por libertinagem.

intel

2 Comments »

Hora do Planeta? Prefiro a Hora das Realizações Humanas.

Posted: março 28th, 2009 | Author: coredump | Filed under: Cybermundo | Tags:

Por algum motivo a WWF acha que apagar as luzes durante uma hora funciona como ato simbólico para “salvar o planeta terra”. Na minha opinião isso só serve para incomodar e me lembrar que sem energia elétrica a raça humana iria efetivamente regredir.

Pensando nisso, hoje enquanto o povo apaga as luzes (e no caso de algumas cidades malucas como o Rio de Janeiro o governo apaga as luzes) eu estarei provavelmente cozinhando no micro-ondas em algum ambiente bem iluminado. 

Mais informações, acesse o site da Human Achievement Hour, em inglês.

intel

1 Comment »

Top 2008 – Os melhores do ano na minha opinião

Posted: dezembro 3rd, 2008 | Author: coredump | Filed under: Gaming, Literatura, Música, Programação, TV | Tags: , ,

Bom, eu ia fazer um top 5, mas daí descobri que eu não tenho tanta coisa assim pra colocar numa lista :) Então me concentrei em colocar as melhores coisas que eu achei esse ano, e ai, concorda, descorda, qual é a sua lista?

Filme: Iron Man
Série de TV: House
Anime: Bleach
Disco: Dig, Lazarus, Dig! – Nick Cave and the Bad Seeds
Jogo de PC: Warhammer Online
Livro: Reader and Raelynx – Sharon Shinn
Programa de tv infantil: Backyardigans
Filme infantil: Kung-Fu Panda
Software: Ubuntu 8.10

E finalmente,

Top FAIL de 2008: Age of Conan (jogo de PC)

intel

3 Comments »